"O artista, um contemplativo que passa, atento somente, às manifestações de cor, de harmonia e de beleza, que escapam aos olhos dos outros."
Domingos Rebêlo, num artigo que escreveu sobre os seus tempos de estudante em Paris, in "Açoreano Oriental", 13 de Janeiro de 1946.

quinta-feira, 25 de abril de 2019

Busto em Plasticina


Já há algum tempo que me tem dado uma enorme vontade de fazer uma incursão pelo modelar corpos, bustos e outros que tais... aqui está o meu primeiro trabalho, inacabado. Nunca pensei que pudesse ficar cansado tão rápido. Primeiro foi o amassar a plasticina... e depois desmanchar e voltar a fazer... mas deu muito prazer... ainda não sei descrever a sensação. 

terça-feira, 12 de março de 2019

Colégio S. Franxisco Xavier - Ponta Delgada



No passado dia 17 de Fevereiro recebi um  convite (tanto eu como a Carmen Ventura) do Colégio S. Francisco Xavier, na pessoa da Drª Elsa Gouveia, para palestrar sobre o

livro “Rabiscos da Minha Ilha”, do qual sou co-autor com a Carmen. O tema seria valores e compromissos solidários (uma vez que o livro foi 100% solidário, para com a ACAPO – Delegação Açores) e sensibilização para a leitura.
E claro está, lá iniciei a explicação do surgir do livro e as suas razões; homenagear a minha Mãe (que era invisual), bem como todas as outras; contribuir com algo útil para uma boa causa – uma Associação sem fins lucrativos. O porquê da escolha da Carmen Ventura: por ser uma excelente Mãe, por ser amiga e por saber escrever com sensibilidade, coisa que não está ao alcance de muitos. Falei no processo de adquirir patrocínios, dos “nãos” que ouvimos; no elevado custo de uma pequena edição em “Braille”, o contornar as dificuldades para que a leitura do livro sem Braille chegasse aos invisuais, através de uma edição de um Audio-CD, sendo que a voz ficou a cargo da fadista Bárbara Moniz. E por fim, dizer que este percurso tem dissabores, mas traz muita satisfação pelo contributo à sociedade, de forma livre e despretensiosa.

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2019

Simpósio Vadio . S. Miguel Açores . 24 a 28 de Julho


Dear Friends and Lovers of “Vadio” Graphic Diary,

Drawing has been the main reason for countless meetings all over the country, and from these, friendships have arisen, which otherwise wouldn’t have possibly happened.
So as to keep fostering this fraternal sharing of friendship, drawings, mutual help, good humour, new knowledge and, obviously, investing in one’s own personal enhancement, not only human but also cultural, it is our proposal to hold a drawing meeting, the one entitled Vadio, in São Miguel, one of the most beautiful islands, if not the most beautiful itself, of the Azores.
During the International Urban Sketchers Symposium held in Porto, the Symposium Vadio was carried out, almost 
in parallel, which sought to aggregate all those who could not access a "pass" for the Symposium. Since, in 2019, 
the International Symposium is held in Amsterdam, a city that does not “speak” Portuguese and does not have good 
wine to drink along with the valuable gastronomical sharing, even if they are only sausages, it is the intention of this 
group of friends to hold “our” “Symposium Vadio” in São Miguel Island, in the Azores. 
 
Filled with this spirit of sharing, of passion for drawing and the intense wish to be together again, we invite you to come,
between the 24th and 28th of July 2019, to São Miguel. The Island which is both the largest of the Azores Archipelago and, 
often considered, the most diversified, frequently named as "Green Island", for the beauty and extension of its endless natural landscapes. Due to its volcanic origin, there are still hot springs and "fumaroles" in São Miguel, which are clearly seen in Furnas, as well as other localities, allowing a temperature such that it is possible to cook the typical stew, in a pot under the ground and for long hours - certainly a delicacy not to be missed.
 
With the intention of having time for pondering and planning, we are still 

February making the necessary contacts so that "Vadio" becomes a memorable one. And the more You are, the more memorable it will be!
 
As you know, the necessary material is the usual: a notebook, pens, pencils, watercolors, some colored papers, glue and other material of your preference. 
 
So that this initiative can fully succeed, we are counting on the invaluable collaboration of several “Vadios”, to somehow guide the workshops proposed.
 
Program: 24 July to 28 July 2019 (confirmed and unchangeable dates)
 
On the day of the arrival in Ponta Delgada, participants will be able to familiarize themselves with the city’s surroundings. 
On the one hand, during these five days truly enjoying good company, it is our purpose to seize at least two to visit both the mythical Lagoa das Sete Cidades and Furnas. 
Attendees will also have the opportunity to freely enjoy their time and delight themselves with the charming scenery of São Miguel Island. 
On the other hand, it is intended that the Workshops proposed by the invited trainers be held only once a day, in the morning or afternoon periods. 
 
Further details on each day of the Event will be provided any time soon.
 
Invited Trainers:
Alexandra Baptista, Suzana Nobre, André Duarte Baptista, Filipe Reis Oliveira
 
Participation is free, but requires registration.
 
Additional information may be found through the email below.
 

Registration can be made to the email: brilhante.paulo@gmail.com

terça-feira, 20 de novembro de 2018

Simposío Vadio - S.Miguel - Açores


Ponta Delgada, 19 de Novembro de 2018

Caro Amigos e amantes do Diário Gráfico Vadio,

O desenho tem sido o principal motivo para inúmeros encontros por todo o país e, destes encontros, têm surgido amizades que de outra forma não eram possíveis. No sentido de continuar a fomentar esta fraterna partilha de amizade, de desenhos, de inter-ajuda, de boa disposição, de novos conhecimentos e, claro está, do enriquecimento pessoal, humano, como também, cultural, vimos propor a realização de um encontro de desenho, o Vadio, em S. Miguel, uma das mais belas ilhas, senão a mais bela dos Açores.

Durante o Simpósio Internacional dos Urban Sketchers ocorrido no Porto, foi realizado, quase em paralelo, o Simpósio Vadio, que procurou agregar todos aqueles que não conseguiram ou não puderam aceder a um “pass” para o Simpósio. No ano de 2019, dado o Simpósio Internacional ser na cidade de Amsterdão, cidade esta que não “fala” português, não tem bom vinho para acompanhar o momento aquando da profícua partilha gastronómica, mesmo que sejam salsichas, é intenção deste grupo de amigos, realizar “o nosso” “Simpósio Vadio” na ilha de S. Miguel, Açores.

Imbuídos desse espírito de partilha, de paixão pelo desenho, da vontade imensa de voltarmos a estar todos juntos, convidamos-vos, entre 24 e 28 de Julho de 2019, a vir até à ilha de São Miguel. Ilha essa que é a maior das Ilhas do Arquipélago dos Açores, considerada mesmo a mais diversificada, apelidada muitas vezes de “Ilha Verde”, pela beleza e extensão das suas paisagens naturais sem fim. De origem vulcânica, ainda hoje se encontram em São Miguel fontes de água quente e "fumarolas", bem evidentes nas Furnas e noutras localidades, permitindo uma temperatura tal que é possível cozinhar o típico cozido, numa panela debaixo do solo e por longas horas - certamente uma iguaria a não perder.

Com o intuito de haver tempo para ponderação e planeamento, estamos, ainda em 2018, a fazer os contactos para conseguirmos fazer um “Vadio” memorável. E tanto mais memorável será, quanto maior for o número de Vós connosco!

Como sabem, o material necessário é o habitual: Um caderno, as canetas, os lápis, aguarelas ou outros, uns papéis coloridos, cola e outros ao Vosso gosto. Para a concretização desta iniciativa contamos com a preciosa colaboração de vários Vadios, para de alguma forma orientar os workshops propostos.

Programa 
24 de Julho a 28 de Julho de 2019 (datas confirmadas e inalteráveis)

O dia de chegada será de reconhecimento da cidade de Ponta Delgada. Durante estes 5 dias de franco convívio será intenção aproveitar pelo menos 2 dias para fazermos uma visita à mítica Lagoa das Sete Cidades, como também às Furnas. Haverá também dias livres para, cada um à sua maneira, poder usufruir do encanto da ilha de S. Miguel. Por outro lado, pretende-se que os Workshops propostos pelos Formadores convidados ocorram apenas uma vez por dia, no período da manhã, ou de tarde.

Oportunamente iremos detalhar convenientemente todos os dias do Evento.

Formadores Convidados 
Alexandra Baptista, Suzana Nobre, André Duarte Baptista, Filipe Reis Oliveira

A participação é livre, mas requer inscrição. Poderá também obter informação complementares através do email abaixo mencionado.

As inscrições poder-se-ao efetuar para o email:
brilhante.paulo@gmail.com

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Correio dos Açores - Edição de 8 de Novembro de 2017


Ponta Delgada, 06 de Novembro de 2017

Aproveitando a vinda de uma Urban Sketcher amiga de Lisboa, a Rita Catita, e a seu pedido, fomos expressamente desenhar a Praia dos Moinhos, que para ela, é o lugar mais bonito do mundo. Fiquei entusiasmado, uma vez que, gostos à parte, e apesar da sua singular beleza, na nossa ilha há muitos mais lugares mais bonitos do mundo. A Rita é veterinária e veio a S. Miguel participar nas Jornadas da Associação Portuguesa de Buiatria, que ocorreu de 3 a 5 de Novembro em Ponta Delgada. Faço essa referência para insistir no aspeto de que não é necessário estar ligado às artes, para desenhar. O desenho em cadernos, ou noutro suporte qualquer, está ao alcance de qualquer pessoa. E teimo em chamar aqueles que, no silêncio das suas 4 paredes, têm receio de mostrar o que fazem. O grupo urban sketchers azores, ultimamente, embora ainda insuficiente para aquilo que podem promover, tem tido mais atividade, e neste grupo, é uma excelente forma, dado o espírito de partilha e aprendizagem com outros, para qualquer pessoa se iniciar com afinco à utilização do diário gráfico e se enriquecer com tudo aquilo que esta atividade trás.

quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Correio dos Açores - Edição de 26 de Outubro de 2017


Ponta Delgada, 25 de Outubro de 2017

Virando costas à metrópole o que observo é Tejo e a outra margem. A neblina não deixava ver com definição os contornos e as formas, mas optei por registar o momento. Resolvo, então, sentar-me num dos bancos existentes no muro junto ao Cais das Naus e assim, com tranquilidade, com tempo, lá puxei do caderno e da caneta. Comecei pelo skyline da outra margem, até que dada altura não consigo vislumbrar onde termina a terra e começa a linha do horizonte. Mas a identificação do local fica marcada com o registo do Cristo-Rei e a Ponte 25 de Abril. O burburinho era imenso, dezenas de turistas passeavam na zona, vendedores de toda a espécie tentavam ganhar algum dinheiro com qualquer “traquitana”. Inclusive fui abordado por um sujeito, de aspeto nada duvidoso, com oferta de venda de haxixe e marijuana. O desenvolvimento trás coisas boas e coisas más. Espero que no nosso caso, com localidades bem mais pequenas do que a de Lisboa, consigamos, com as nossas autoridades, evitar este tipo de negócio.

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Correio dos Açores - Edição de 20 de Outubro de 2017


Ponta Delgada, 16 de Outubro de 2017

Depois de ter participado no 3º Encontro Internacional de Desenho de Rua, em Torres Vedras, e com algum tempo disponível, resolvi percorrer a baixa de Lisboa. Apesar da névoa que cobria esta zona à beira rio, o calor que se fazia sentir era imenso, em parte pela temperatura ambiente, em parte pela vontade de desenhar e de colocar em prática algumas das influências que bebi durante o Encontro. Devo confessar que o compromisso que assumi comigo mesmo de procurar dar sempre o meu melhor, acarreta uma responsabilidade acrescida e aumenta a minha autocrítica, pelo que as iniciativas que facilitam o desenvolvimento das minhas competências são desafios que abraço com genuína admiração.

Consciente, então, dessas premissas, amparei-me num poste de iluminação da Praça do Comércio, observando por breves instantes a tarefa que, a mim mesmo, me propus realizar, mesmo que nem sempre o resultado me satisfaça. Muito do que hoje é Portugal passou, e continua a passar, por este local, cujos edifícios envolventes, ainda hoje em dia, estão parcialmente ocupados por alguns departamentos governamentais.